Solanáceas

no Brasil

BEM  VINDONaDO BEM-VINDO

Pretende-se com base nas pesquisas realizadas através de Banco de Dados Bibliográficos e Sites, divulgar o resultado dos estudos morfológicos, taxonômicos e biogeográficos sobre espécies da família Solanácea, em especial as que ocorrem no Brasil, focalizando o desenvolvimento do conhecimento científico desse grupo de plantas.

As Solanáceas no Brasil representam neste Site o desejo de se difundir conhecimentos científicos alcançados através de séculos de pesquisas, e que ainda hoje são considerados insuficientes para as interpretações filogenéticas do grupo.

Através dos estudos de morfologia e sistemática das angiospermas nativas e cultivadas no Brasil, G.M. Barroso e pesquisadores convidados, auxiliados pelo valioso acervo científico do Herbário do Instituto de Pesquisas do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, desenvolveram uma obra pioneira - ”Sistemática de Angiospermas do Brasil”, publicada em três volumes pelas editoras das Universidades de São Paulo e de Viçosa, contendo chaves analíticas genéricas ilustradas para identificação dessas plantas.

A família em questão está incluída nessa obra, na subclasse Asteridae, ordem Polemoniales segundo o Sistema de A.Cronquist (1968), e está representada por 27 gêneros e 362 espécies nativas e/ou subespontâneas  (Carvalho in Barroso et al. 1986);  dados que serão atualizados com os estudos em desenvolvimento sobre os gêneros.-

Porque Morfologia e  Micromorfologia ?

A diversidade morfológica nas Solanáceas permite o reconhecimento da família, gêneros ou mesmo de um grupo de espécies, através de um ou mais elementos significativos. É evidenciada a importância da análise morfológica dos caracteres vegetativos e reprodutivos, quando se pretende dar o nome científico de uma planta. A descrição morfológica de uma planta resulta das impressões imediatas detectadas pela nossa visão no campo e no laboratório, acrescentada pela análise microscópica através de lupa, microscópio óptico e microscópio eletrônico de varredura (SEM) definindo com mais exatidão e/ou completando os primeiros exames. Ao melhorar essas descrições serão assinalados os caracteres morfológicos relevantes para a taxonomia das espécies e da família Solanácea.

A dificuldade de acesso e até o alto custo do microscópio eletrônico de varredura explicam o número reduzido de estudos micromorfológicos direcionados para a superfície das estruturas vegetais; o que justifica a divulgação de imagens e estudos inéditos, associados à disponibilidade de alguns artigos publicados.

Porque Bibliografia das Solanáceas ?

É a bibliografia específica o elemento básico para as pesquisas, desde os tempos mais remotos que auxilia, por exemplo, nos estudos e interpretações da história, morfologia, biogeografia, taxonomia e nomenclatura ou validade de espécies. A indicação de artigos recentes para o catálogo "Bibliografia das Solanáceas" (1989) com abordagens sobre a biogeografia, biologia, ethnobotanica, filogenia, fisiologia, flora, morfologia, química e a taxonomia, é considerado significativo para o estudo das Solanáceas, e pretende contribuir para direcionar o leitor nos assuntos gerais e/ou pesquisas mais ampla.

Os artigos científicos apresentados no “International Symposium - The Biology and Systematics of Solanaceae” foram publicados sob a forma de livro (1979, 1986, 1991, 1999, 2001 e 2007). As referências bibliográficas são encontradas no Banco de Dados deste Site.